quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Espinhos, pedras e olhares.


Aqueles que me acompanhavam hoje são embora jogando pedras e me atirando aos espinhos, mas eu me levanto com um sorriso na face sabendo que há um alguém muito mais importante que está ali para estender-me a mão. Aqueles que vieram depois desses que me acompanhavam primeiro, agora mudam suas atitudes e vão, sem saber porque, se juntar a aqueles que me atiraram pedras pontiagudas.
Percebo que alguns ficam do meu lado, procurando a mesma pessoa que procuro e tentando ser semelhante a ela. Alguns simplesmente mudam seu caminho e vão se encontrar com pessoas como aquelas que me apunhalaram, outras apenas se perdem.
É estranho imaginar que ninguém pode me machucar para sempre.

Nenhum comentário: