terça-feira, 23 de novembro de 2010

In my dirty backstage


Acordo de um sono profundo e estou tomada pelo susto. Minha pele parece estar mais fria do que já esteve em toda minha vida. Nada vejo a não ser minha culpa; culpa esta causada pelas imagens que eu acabara de ver. Meus ouvidos sentem a chuva, ouvem minha respiração acelerada.
Percebo que já não estou na minha cama, andando pelo quarto sem saber exatamente o que estou fazendo. É quando as memórias começam a voltar uma a uma para meus pensamentos e elas arrancam pedaços de minha alma com seus dentes pontiagudos.
Tudo parece estar perfeito, a chuva lava as impurezas que meu corpo revela, ou seria isso apenas o que eu queria que fosse verdade? Todas as coisas que fiz para proteger-me da dor agora estão vivendo na minha sombra, revelando-me a sujeira que escondo nos meus bastidores. As provas ainda estão ao chão, para que ao pisa-las eu possa machucar também os meus pés.

Nenhum comentário: