quarta-feira, 16 de maio de 2012

Perfeição

O sonho tardio realizado de ser o que todos desejam veio como um grande peso nos meus ombros. Eu via na minha memória aqueles olhos de criança que tanto sonhava, mas precisava destruir alguns obstaculos que me desejavam como prisioneira. Nada dois mais do que arrancar pedacinhos da minha alma com uma tesoura cega e enferrujada. Uma grande parte deminha história partia me devolvendo meu sorriso, minha vida e minha identidade, mas aquele sonho então realizado me tirava tudo que eu recuperava. Eu corria, mas meu corpo não era capaz de aguentar e tudo perdia o foco e se transforçava em sombras escuras e empoeiradas. Corri no escuro de braços abertos procurando a figura que carregava aqueles olhos de criança e tudo ficou diferente. É isso que chamamos de cores? Eu nunca havia visto.

Nenhum comentário: