domingo, 22 de dezembro de 2013

Mascara

Cada passo que dou meus pés afundam cada vez mais no chão que é agora como areia movediça. Meu estômago salta e sinto que me falta o ar, pois este encontra um buraco negro quando passa pelas minhas narinas. Desta forma percebi o quanto estou vazia por ter perdido as esperanças.
Meus olhos me traem e produzem lagrimas, mas escorrem pelo meu rosto retirando a mascara que eu criei.

Nenhum comentário: